Entenda como é a relação entre o cloud computing e o big data

Entenda como é a relação entre o cloud computing e o big data

A computação em nuvem provê o acesso a recursos como servidores e redes, de uma forma organizada, prática e com custo reduzido. Essas características favorecem o armazenamento e o processamento de grandes quantidades de dados, principalmente quando a demanda é crescente ao longo do tempo — o que é típico em projetos que envolvem big data.

Isso faz com que cloud computing e big data tenham características que levam uma complementaridade entre si de uma forma natural.

Neste artigo, mostraremos os aspectos que fazem com que a aplicação deles em conjunto permita extrair, com segurança, o potencial que o big data tem para gerar valor aos negócios a partir dos dados. Boa leitura!

Atributos da aplicação de cloud computing e big data

O cloud computing tem, pelo menos, 5 propriedades que são essenciais para uma aplicação efetiva do big data:

Estrutura sob demanda

A contratação de uma infraestrutura em nuvem é feita na medida para as necessidades do negócio. Assim, o espaço em disco, a capacidade de processamento, a velocidade e a capacidade de transferência de dados podem ser selecionados tendo como referência os softwares utilizados, as quantidades de transações e as informações processadas.

Ubiquidade

Ao armazenar os dados na nuvem, eles podem ser acessados e coletados de qualquer lugar com acesso à internet e por meio dos mais diversos dispositivos.

Escabilidade

Na medida em que a quantidade de informações armazenadas cresce, assim como a demanda por capacidade de processamento — o que acontece continuamente e com rapidez para as análises relacionadas ao big data —, mais recursos físicos ou virtuais usados na nuvem podem ser facilmente alocados.

Alguns fornecedores de nuvem disponibilizam um painel de autosserviço em que se pode contratar mais espaço, disco e memória, aumentando a capacidade de processamento de forma simples e rápida.

Elasticidade

Os recursos computacionais são alterados de forma transparente para os usuários dos serviços, sem interromper o uso ou o processamento de informações.

Assim, caso seja necessário atender a demandas pontuais, pode-se fazê-lo apenas para aquela necessidade e retornar para as especificações necessárias anteriormente, sem stress para os usuários e sem interrupções na produção.

Monitoramento e medição

Por meio de uma plataforma web ou um aplicativo móvel, pode-se acompanhar a quantidade de recursos utilizados, a performance dos equipamentos e a quantidade utilizada em relação à capacidade contratada. Assim, evitam-se falhas a partir da facilidade para gestão e da alocação de recursos, quando necessário.

Essas características também fazem com que a aplicação do big data seja muito mais eficiente. Veremos por que a seguir.

O que é o big data e por que demanda uma poderosa infraestrutura

Big data é o uso de softwares que contêm algoritmos que representam modelos estatísticos e matemáticos complexos, usados para analisar grandes quantidades de dados.

O output desses sistemas traz informações como predição de comportamento do mercado, sugestões de melhorias em processos e um entendimento mais aprofundado de cenários estudados como panorama econômico e necessidades dos consumidores.

Para tanto, os dados usados nesse procedimento têm como características os 4Vs:

  • Volume — espaço em disco usado para armazená-los, normalmente acima da casa dos petabytes;
  • Velocidade — rapidez com que são gerados em larga escala, como coleta constante de informações em smartphones ou em sensores instalados em automóveis;
  • Variedade — diversos tipos de dados que são insumos, como posts em redes sociais, e-mails, logs de sistemas e dados coletados por instituições governamentais e financeiras;
  • Veracidade — os dados devem ter fontes conhecidas, confiáveis e serem rastreáveis.

Para obter, armazenar e processar esses dados, são usadas diversas estratégias. Se for considerada a aplicação associada ao uso de internet das coisas, por exemplo, as indústrias instalam sensores em seus equipamentos que coletam informações relacionadas a seu funcionamento e ao ambiente em que se encontram.

Conforme a necessidade, novos dados são gerados a cada hora, minuto ou segundo, e descrevem aspectos como consumo de energia, temperatura ambiente e umidade. Dependendo do tamanho da empresa, da quantidade e da complexidade do ambiente de produção, o volume de informações pode chegar a gigabytes por segundo.

Um outro exemplo é o uso de big data para gerar análises de mercado e comportamento das pessoas. Para isso, são coletadas informações de origens diversas, que são continuamente criadas, como posts em redes sociais e transações financeiras. Informações demográficas, como as coletadas por órgãos como o IBGE, também são importantes matérias primas.

O cruzamento dessas informações permite entender o perfil dos consumidores por região, quanto gastam e até mesmo suas opiniões sobre os produtos.

O melhor conhecimento do comportamento das pessoas leva órgãos governamentais a passarem a ter melhores formas de oferecerem serviços à população. Para o varejo, também é muito útil, pois pode fornecer ofertas mais apropriadas para as demandas dos consumidores.

Por serem um ativo valioso, essas informações precisam ser armazenadas de forma segura e persistente.

Além disso, os softwares, utilizados para relacionar e extrair informações-chave para os negócios a partir de grandes quantidades de informações, demandam equipamentos com elevado poder de processamento e em excelente estado de operacionalidade.

Está aí mais uma vantagem do cloud computing, conforme veremos a seguir.

Otimização de investimentos

Servidores e redes demandam um monitoramento constante e a presença de profissionais à disposição para resolução de problemas. Nesses casos, deve-se realizar e testar backups frequentemente, orientados por normas e especificações que estabelecem rotinas como replicação e redundância dos dados, manutenção e qualidade das mídias utilizadas.

Quando uma empresa contrata uma infraestrutura em nuvem, ela tem acesso a recursos tecnológicos com grande capacidade de armazenamento e processamento de informação a um custo bastante reduzido, se comparado à aquisição dos equipamentos e à contratação de profissionais. Há também o custo permanente com manutenção, renovação e melhoria dos equipamentos.

Segurança e proteção dos dados

O big data demanda uma grande quantidade de informações coletadas por longos períodos de tempo. Elas devem ser armazenadas de forma confiável, pois perdas e danos de informações comprometem a qualidade das análises.

A gestão dos dados ainda requer cuidados relacionados à segurança da informação, como prevenção a ataques e roubos de dados. Os equipamentos também estão sujeitos a danos físicos, ocasionados por desastres naturais e falhas técnicas, o que demanda ações de prevenção.

A nuvem possui altos níveis de segurança, sendo um ambiente extremamente confiável e seguro para armazenamento e proteção de dados sigilosos. Provedores de cloud computing, além de seguir normas e padrões superiores aos da maioria das empresas, possuem especialistas preparados para monitorar constantemente a infraestrutura, combater ataques e atuar na prevenção de vulnerabilidades. Independentemente se a infraestrutura é local ou na nuvem, a empresa ainda precisa cuidar dos demais elementos da segurança de seus dados: o controle das credenciais de acesso, as atualizações do sistema operacional e aplicativos e as boas práticas de programação. Sendo assim, contar com um parceiro que promova a proteção de sua infraestrutura permite otimizar os processos, ganhar eficiência e aumentar a confiabilidade.

Com isso, a associação da nuvem com o big data torna-se especialmente interessante, já que o grande volume de dados do big data pode ser guardado sem grandes preocupações.

Dessa forma, vemos que cloud computing e big data são recursos complementares, pois quando aliados, formam uma combinação altamente eficaz. O big data demanda elevado poder de armazenamento e processamento de informações a uma taxa crescente ao longo do tempo.

Já a utilização de uma infraestrutura em nuvem possibilita o acesso a recursos tecnológicos de alta performance, facilmente incrementáveis e gerenciados de forma segura.

Esperamos que, com este artigo, tenhamos ajudado você a compreender a relação entre o cloud computing e o big data, os quais vêm apresentando uso crescente e contribuem muito para o sucesso das empresas que as adotam.

 

Continue informado e atualizado a respeito de novas tecnologias e melhores práticas de TI que ajudarão a tornar o uso de tecnologia em sua empresa mais eficiente. Assine a nossa newsletter e seja sempre notificado quando lançarmos novos artigos!

Gostou desse conteúdo?

Fique atualizado recebendo gratuitamente nossos artigos diretamente no seu email

Também pode lhe interessar

x

Peraí... Você segue uma rotina de backup confiável?

Saiba como manter seus dados seguros, acessíveis e íntegros.

Acesse aqui o seu Guia prático!