Email marketing eficiente requer boas práticas

*por Juliano Simões

O email marketing hoje é uma ferramenta estratégica para quem comercializa tanto via internet como em lojas físicas. De acordo com o IBGE, o principal motivo de acesso à internet no Brasil é o email. Ou seja, é um ótimo negócio ter uma marca divulgada em um canal onde o cliente irá consultar.
Mesmo em tempos onde as mídias sociais ditam o que é tendência, ele continua sendo um excelente canal de comunicação com seus públicos. Sua utilização é uma estratégia eficiente para manter os clientes atualizados sobre novas ofertas e serviços, aumentando assim as vendas.

Mas é preciso saber usar essa ferramenta. Segundo uma pesquisa realizada pela Splio, especializada no envio de mensagens comerciais, apenas 15% dos emails enviados em campanhas de email marketing atingem a caixa de entrada dos seus destinatários. Os outros 85% vão parar na lixeira ou em filtros anti-spam.

Os cuidados devem começar com a composição da lista de destinatários que receberão o email marketing. O indicado é seguir as recomendações do “Código de autorregulamentação para prática de email marketing” divulgado no site do Comitê Gestor da Internet no Brasil (http://www.cgi.br/publicacoes/documentacao/cod-autoreg-email-marketing.htm). Nesse caso, o envio é permitido somente para usuários que tenham autorizado explicitamente (modelo “opt-in”) ou com quem a empresa tenha relação comercial ou social.

Outra questão diz respeito ao serviço utilizado para emissão das mensagens. Se for contratado um provedor terceirizado, é importante confirmar se a companhia tem uma política que proíba o e-mail marketing eticamente incorreto, ou seja, o envio de spam. Do contrário, é provável que essa empresa tenha os seus IPs cadastrados em listas negras, o que gera bloqueios no envio das mensagens pelos demais provedores da internet.

Uma recomendação importante é o uso de um domínio próprio para hospedar as imagens e demais elementos necessários para o controle estatístico e geração de relatórios. Caso contrário, as mensagens acabam sendo enviadas com um ou mais links do domínio da própria empresa de email marketing. O problema é que, como no exemplo do parágrafo anterior, o domínio da empresa de email marketing pode estar cadastrado em listas negras, prejudicando a eficácia do mailing.
Quanto à composição da mensagem da campanha, o ideal é seguir as orientações básicas de envio, evitando mandar conteúdos muito extensos ou palavras em caixa alta e incluir imagens grandes ou que contenham textos, além de usar remetentes ou links fora do domínio.

Boas ferramentas de email marketing fornecem recursos que ajudam na validação prévia da mensagem da campanha e indicam se há risco do email ser considerado spam indevidamente. Outros expedientes como relatórios de erro de envio e rastreamento de leitura do texto também devem ser disponibilizados. Elas permitem o acompanhamento do resultado das campanhas e facilitam a identificação de pontos a serem corrigidos.

Além disso, o fator mais importante é que o conteúdo do email marketing seja relevante para o público alvo. Dessa forma, ao primeiro sinal de que as mensagens estão sendo classificadas como spam pelo provedor, o próprio destinatário incluirá o remetente na sua lista branca, garantindo o recebimento.

Alguns provedores analisam qual é o nível de interação do seu usuário com a mensagem. Se ele sempre deleta sem ler o conteúdo de um determinado remetente, o servidor que hospeda a conta de email pode começar a classificá-lo como possível spammer por entender, baseado no histórico de interações one-to-one, que ele está enviando mensagens não relevantes para o usuário.

Lembre-se: o email marketing, quando usado adequadamente, pode trazer várias vantagens para o contratante do serviço. Por isso, é importante que o emissor não envie aos assinantes mensagens comerciais apenas com propagandas. Ofereça informações úteis para atrair a atenção das pessoas e mostre todas as vantagens em receber seu conteúdo.

Os benefícios da ferramenta são vários, você terá o conhecimento do perfil de seus consumidores, interatividade do cliente com a empresa, agilidade na obtenção dos resultados da campanha, além da ótima relação entre custo beneficio, já que esta é uma ferramenta muito barata que gera bons frutos para as companhias.

*Juliano Simões é Diretor de Tecnologia da CentralServer.

Gostou desse conteúdo?

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos diretamente no seu email

Também pode lhe interessar