Conheça 7 tendências de TI para 2017

Conheça 7 tendências de TI para 2017

O ritmo das inovações tecnológicas no mundo é mais rápido hoje do que em qualquer outro momento na história.

Há apenas alguns anos, a computação na nuvem era considerada uma tecnologia de ponta. Hoje, já consolidada como uma plataforma madura e robusta, tecnologias de infraestrutura na nuvem estão coordenando muitos avanços e criando novos paradigmas nas áreas de negócios, saúde, pesquisa e em todo o mundo interconectado.

Com isso, novas tecnologias surgem a cada momento, e é preciso estar em dia com as tendências de TI no mercado para que sua empresa se mantenha competitiva e diferenciada para o público consumidor.

Interessou pelo assunto? Então, acompanhe neste post as tecnologias que serão estratégicas para o crescimento da maioria das organizações neste ano. Confira!

1. Novidades em cloud computing

computação na nuvem colaborou para que muitas organizações se transformassem nos últimos cinco anos. Contudo, alguns experts no assunto dizem que o mercado está entrando em uma espécie de “segunda onda“, tanto para serviços de nuvem pública quanto privada, principalmente no que tange o IaaS.

O mercado da cloud computing vai acelerar mais ainda em 2017, uma vez que empresas buscarão ganhar mais eficiência enquanto aumentam a capacidade de seus recursos computacionais para melhor atender ao público consumidor.

Alguns movimentos e análises do mercado corroboram com essa tendência. Por exemplo, uma pesquisa da Forrester Research estima que a computação na nuvem está crescendo 22% ao ano, e o destaque principal fica para serviços de infraestrutura e plataforma na nuvem.

Outros fatores — como inteligência artificial e objetos inteligentes cada vez mais integrados em aplicações na nuvem, além da contínua construção de data centers ao redor do globo — colaboram para manter o cloud computing como uma tecnologia que ainda será central para o desenvolvimento de negócios ainda por muitos anos.

2. O desabrochar do blockchain

A tecnologia por trás da criptomoeda Bitcoin, o blockchain, tem a função de atestar e confirmar a posse de bens e finanças de maneira incontestável — e essa tecnologia está chegando a um banco perto de você em 2017.

Neste ano, o blockchain vai encontrar pela primeira vez um uso fora do mercado do bitcoin, e as pioneiras desse uso serão as infraestruturas internas de bancos.

No futuro, a mesma tecnologia poderá ser usada na verificação de identidade no varejo online, na compra e venda de imóveis, nas redes de abastecimento, para mudar a maneira como a internet funciona e também na música digital, garantindo que os artistas recebam por seus trabalhos. Prepare-se para um futuro onde o código é a lei.

3. Mais investimentos em IA

Inteligência artificial (IA) e o aprendizado avançado de máquinas (do inglês machine learning) são compostos de muitas tecnologias e técnicas (por exemplo: aprendizagem profunda, redes neurais e processamento de linguagem natural).

Estamos vivendo um momento em que técnicas avançadas são usadas para transpor os limites dos algoritmos tradicionais baseados em regras, criando sistemas que podem entender, aprender, prever, adaptar e potencialmente operar de maneira autônoma. Dessa forma, máquinas começam a ganhar a qualidade de inteligentes.

A IA aplicada e o aprendizado avançado de máquinas dão origem a um espectro de implementações inteligentes, incluindo tanto dispositivos físicos (robôs, veículos autônomos, eletrodomésticos etc) quanto apps e serviços (como assistentes virtuais, por exemplo).

4. Sistemas operacionais para a Internet das Coisas

Milhares de dispositivos conectados, todos se comunicando pela nuvem e integrados a sistemas de monitoramento em tempo real e de análise de dados. Com desenvolvedores correndo para criar dispositivos para a Internet das Coisas (do inglês Internet of Things, ou IoT) e com muitos projetos conceituais em andamento, o grande prêmio vai para quem conseguir criar uma boa e usável plataforma operacional para toda a IoT.

Há uma dúzia dessas em desenvolvimento, desde empresas como Cisco e AT&T até gigantes como a ZigBee Alliance e GE para aplicações industriais. Porém, em meses recentes, pudemos presenciar o aparecimento do Android Things, da Google e updates na IoT, da AWS e do Microsoft Azure.

Quem quer que consiga criar a melhor plataforma terá ganhos extraordinários, uma vez que a receita gerada por tecnologias ligadas a IoT terá um crescimento grande em 2017.

5. Mais realidade aumentada e realidade virtual

Nós já vimos grandes avanços em realidade aumentada (RA) e realidade virtual (RV) em 2016. O Oculus Rift foi lançado com uma recepção altamente positiva, e milhares de apps e games em realidade virtual apareceram em seguida.

Nós também vimos a febre que se tornou o Pokémon Go, um jogo em realidade aumentada que foi baixado mais de 100 milhões de vezes. O mercado está pronto para a RA e a RV, e já existem alguns dispositivos recém-lançados e tecnologias adaptadas para essas aplicações, mas será somente neste ano que veremos essa tendência deslanchar.

E uma vez que o trem estiver a todo vapor, vamos presenciar versões em RA e RV de praticamente tudo no mundo físico. E, com isso, amplas oportunidades de marketing surgirão.

6. O nascimento dos gêmeos digitais

Um gêmeo digital é um modelo dinâmico de software sobre um objeto ou sistema físico, que se baseia em dados coletados por sensores para compreender seu estado, responder a mudanças, improvisar operações e acrescentar valores.

Gêmeos digitais são a combinação de dados e inteligência que representam a estrutura, contexto e comportamento de um sistema físico de qualquer tipo. Eles oferecem uma interface que permite ao usuário entender operações do passado e do presente e fazer previsões a respeito do futuro.

Dentro de três a cinco anos, centenas de milhões de objetos serão representados por gêmeos digitais. Organizações vão usá-los para agir de forma proativa na hora de realizar reparos ou planejar serviços de equipamentos, processos de manufatura, operar fábricas, prever erros de maquinário e melhorar o desenvolvimento de produtos.

7. Aumento de aplicativos de malha e arquitetura de serviços

No universo dos aplicativos de malha e arquitetura de serviços (MASA), apps para mobile, desktop e IoT linkam para uma malha abrangente de serviços de backend para criar o que os usuários verão como uma única “aplicação”.

A arquitetura encapsula serviços e expõe APIs (Application Programming Interface, ou Interface de Programação de Aplicativos, em português) em múltiplos níveis e por meio dos limites organizacionais, equilibrando a demanda por agilidade e escalabilidade de serviços com harmonia e reúso de sistemas.

A principal inovação dessa malha de dispositivos é a expansão do conjunto de terminais que as pessoas vão usar para acessar aplicativos ou informações e interagir com indivíduos, comunidades, governos e negócios.

Esteja pronto para as tendências de TI em 2017

Seja qual for a atividade da sua empresa, a tecnologia certamente terá um grande impacto na maneira como seus funcionários conduzirão suas tarefas e também como os consumidores olharão para sua organização.

Este ano promete introduzir no mercado diversas novidades que já vêm sendo pesquisadas há anos. E o mais interessante é que a computação na nuvem ainda tem papel crucial nesses avanços.

Gostou de nossas dicas sobre as principais tendências de TI para 2017? Então não deixe de compartilhar este post em suas redes sociais e comente com seus amigos!

Gostou desse conteúdo?

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos diretamente no seu email

Também pode lhe interessar